Cold case love.
“Que te dizer?
Que te amo, que te esperarei um dia na rodoviária, num aeroporto, que te acredito, que consegues mexer dentro-dentro de mim? É tão pouco. Não te preocupa. O que acontece é sempre natural - se a gente tiver que se encontrar, aqui ou na China, a gente se encontra. Penso em você principalmente como minha possibilidade de paz - a única que pintou até agora, “nesta minha vida de retinas fatigadas”. E te espero. E te curto todos os dias. E te gosto. Muito.”


CAIO FERNANDO ABREU
meus textos ♪ twitter

"Algumas coisas não servem mais. Você sabe. Chega."

Caio Fernando Abreu.

"Tava lendo Gabito até agora. Ele tem um jeito de se expressar igual meu melhor amigo, que afinal saiu e nem me avisou nada. Que vacilo! Pego o celular, vou dar uma bronca nele. Ele sabe que eu to passando por uma bad nessas ultimas semanas, não pode simplesmente me deixar aqui mofando no sofá em vez de me chamar pra uma breja. Coitado, ele tem vida, não precisa me aguentar 24 horas por dia, não enlouqueça o pobre. Mesmo assim, vou mandar uma mensagem ácida pra ele. Quando ele estiver sóbrio de novo vai rir e dizer que eu sou foda. Abaixo do contato dele, está você. Minto, você está lá no fim da lista, até porque hoje faz um mês e, deixa eu ver de novo, um mês e 3 dias que não nos falamos mais. A mensagem pro amigo vai esperar, por que agora vou despejar tudo que você está me fazendo passar:
“Sabe, você pode ter ouvido falar das coisas que eu fiz nesses últimos dias, mas você não saiu da minha cabeça em nenhum momento, e acho que vou apagar essa parte por que você não precisa saber de porra nenhuma a respeito disso. E também não fiz nada de mais, se é que você se preocupa, não dei pra ninguém ok, como se eu precisasse dar satisfação da minha vida. Tudo bem, prosseguindo, bebi demais mesmo, beijei um cara horroroso, e daí? Qual o problema ? você não está fazendo o mesmo? Eu sei que a bebida não ia me fazer te esquecer e prometi que nunca mais bebo tequila na minha vida. Escrevendo pra você as 04:07 de um sábado, ouvindo aquela musica do radiohead que diz inúmeras vezes “I lost myself”. Tirando essa parte, ela não tem nada mais sobre a gente. Mas esqueça sobre a música, não estrago mais nenhuma música com a vossa senhoria. Quero falar um pouco do nosso relacionamento, tenho que confessar que nós éramos foda juntos sabe, era a menininha mais feliz do mundo que vivia admirando o céu azul, que chegava a me cegar. Mas o céu de azul passou de cinza, e de cinza pra azul-tempestade-metida-a-furação. Como uma coisa tão linda desmorona de uma hora para a outra? Eu me debati muito a aceitar que estava chegando ao fim, e quando você bruscamente puxou a sua mão da minha quando eu te segurava foi como aquilo tudo estivesse em coma e nós com a decisão de desligar ou não os aparelhos. Você assinou os papéis. Não me perguntou nada, decretou o fim. Tudo bem, se você não era feliz poderíamos sentar naquele banco da praça que eu batizei de nosso e falar sobre isso. Poderíamos ter tido um fim bonito. Não, isso não existe. Um fim menos doloroso do que está sendo. Mas não querido, você fez daquele maldito banco da praça apenas um velho banco onde pessoas dizem coisas da boca pra fora. Fechou seus olhos, virou as costas, não me mandou as suas mensagens dizendo bobagens para eu bolar um jeito de dizer algo que sempre se encaixava no papel de “eu estou do seu lado sempre”. Prestou atenção? Sempre. Mesmo quando me ignorava na rodinha com aqueles babacas metidos a inteligentes, eu estava ali, quieta, ouvindo eles dizerem coisas como “coitada da menina que namorar com você” e, você ria, como se tivesse uma lista de garotas esperando para ter o coração quebrado por você. Eu era a número um dessa lista aí. Você acha que eu devia ter insistido? Devia ter baixado minha auto estima, pisado em mim mesma pra tá lá em pé por você? E o que você fez por mim? Eu joguei a toalha, desisti de você e agora que eu sai você acha eu não valho nada? Eu to errada? não sou garota de ser levada a sério ? Qual o problema em beber ? Eu pensar em te ligar. Sorte a tua que eu não enxergava os números, sorte tua que alguém tomou meu celular, sorte tua que eu dormi no carro e cheguei em casa me sentindo podre por dentro. Mas é isso, hoje, eu não levo um cigarro a boca por você, não levanto mais um copo pensando em você, ora, eu vivia bem antes de você, eu tinha um objetivo antes de você, eu era querida por alguns antes de você. Você me tirou do eixo, e eu preciso colocar as rodinhas no trilho de novo. Tudo bem, tudo bem, eu tenho uma cola super potente aqui, colarei meus pedacinhos e o próximo cara nem vai notar as rachaduras. Próximo sim, com certeza, e amém! Não insisto mais, por que nesse momento, eu nem sei o que eu sinto por você. E eu não suporto continuar tentando decifrar o que você sente por mim. Se é que sentiu algo algum dia. Tenha uma boa vida, e que esse modo teu de gostar de alguém seja extinto do universo ”
ENVIAR.
pronto, agora terei que me mudar para a lua."

— "I LOST MYSELF" -karma police às 04:08 da manhã de um sábado